O passo a passo para elaborar o Mapa de Riscos

O Mapa de Risco tem como função a divulgação dos riscos existentes nos setores de trabalho da empresa, de forma a ajudar a proteger o trabalhador mostrando claramente os riscos que determinado ambiente de trabalho apresenta.

No Brasil, o Mapa de Risco é obrigatório nas empresas e está dentre as atribuições da CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes), conforme item 5.16 da NR-5 “A CIPA terá dentre suas atribuições a de identificar os riscos do processo de trabalho, e elaborar o mapa de riscos, com a participação do maior número de trabalhadores, com assessoria do SESMT, onde houver”

Para poder interpretar o mapa de riscos, precisamos recordar o que aponta a NR-09, conforme abaixo:

Item 9.1.5.1 Consideram-se agentes físicos as diversas formas de energia a que possam estar expostos os trabalhadores, tais como: ruído, vibrações, pressões anormais, temperaturas extremas, radiações ionizantes, radiações não ionizantes, bem como o infra-som e o ultra-som.

Item 9.1.5.2 Consideram-se agentes químicos as substâncias, compostos ou produtos que possam penetrar no organismo pela via respiratória, nas formas de poeiras, fumos, névoas, neblinas, gases ou vapores, ou que, pela natureza da atividade de exposição, possam ter contato ou ser absorvidos pelo organismo através da pele ou por ingestão.

Item 9.1.5.3 Consideram-se agentes biológicos as bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários, vírus, entre outros.

Para facilitar a visualização do mapa, além dos riscos apontados acima pela NR-09, temos mais outros dois grupos totalizando cinco divisões, representadas por diferentes cores conforme abaixo:

Cada empresa irá adotar a sua estratégia para a elaboração do Mapa de Risco, porém abaixo segue sugestão de como proceder:

  • 1º Passo:
    Conhecer todos os setores da empresa para reunir informações suficientes sobre o estabelecimento, bem como definir a ferramenta que você irá utilizar para elaborar ou revisar o seu mapa de risco. Neste momento é importante ter em mãos o projeto/croqui/layout dos setores.
  • 2º Passo:
    Conhecer o processo de trabalho em cada local a ser analisado (trabalhadores, jornadas, equipamentos, máquinas, ambiente, etc).
  • 3º Passo:
    Estimular a troca de informações com os trabalhadores para verificar detalhes sobre seu modo de trabalho, queixas, doenças profissionais já diagnosticadas, etc.
  • 5º Passo:
    Analisar e identificar as medidas de controle necessárias para mitigar os riscos identificados.
  • 4º Passo:
    Identificar os riscos (físicos, químicos, ergonômicos, biológicos ou de acidentes) existentes em cada local analisado e estabelecer a intensidade destes riscos (pequena, média ou grande). Com o projeto em mão já anote estas informações no croqui.
  • 6º Passo:
    Com todos os setores analisados, transfira as informações para o computador e atualize seu arquivo do Mapa de Risco.
  • 7º Passo:
    Imprima e divulgue os Mapas de Riscos atualizados em todos os setores da empresa

 

Caso tenha alguma dúvida ou curiosidade, entre em contato que teremos o prazer em ajudar: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *