Sistemas de Proteção contra quedas (NR-35)

Hoje vamos falar um pouco sobre os Sistemas de Proteção contra Quedas, capítulo 35.5 da NR-35 com redação dada pela Portaria MTb n.º 1.113, de 21 de setembro de 2016.

Sempre que não for possível evitar o trabalho em altura é obrigatória a utilização de sistema de proteção contra quedas. Mas afinal o que são estes Sistemas?

Os Sistema de Proteção Contra Quedas – SPQ são Sistema destinado a eliminar o risco de queda dos trabalhadores ou a minimizar as consequências da queda. Estes devem ser projetados por profissional legalmente habilitado.

A seleção do sistema de proteção contra quedas deve considerar a utilização de sistema de proteção coletiva contra quedas – SPCQ. Na impossibilidade destes ou sempre que o SPCQ não ofereça completa proteção contra os riscos de queda ou para atender situações de emergência, devemos adotar o sistema de proteção individual contra quedas – SPIQ.

Os princípios de segurança para SPQ estão baseados em:

  • Restrição de movimentação: isolamento do trabalhador, destinado a restringir a área do trabalhador ao local com risco de queda
  • Retenção de queda: utilização de dispositivo destinado a reter a queda do trabalhador.
  • Posicionamento no trabalho: técnica para posicionamento, com segurança, do trabalhador no local de trabalho.
  • Acesso por cordas: técnica de progressão utilizando cordas, com outros equipamentos para ascender, descender ou se deslocar horizontalmente, assim como para posicionamento no local de trabalho.

 

O SPIQ é constituído dos seguintes elementos:

  1. equipamento de proteção individual
  2. elemento de ligação
  3. sistema de ancoragem

É importante destacar que antes do início dos trabalhos deve ser efetuada inspeção rotineira de  todos os elementos do SPIQ.

Os elementos do SPIQ que apresentarem defeitos, degradação, deformações ou sofrerem impactos de queda devem ser inutilizados e descartados, exceto quando sua restauração for prevista em normas técnicas nacionais ou, na sua ausência, em normas internacionais e de acordo com as recomendações do fabricante.

O SPIQ deve ser selecionado de forma que a força de impacto transmitida ao trabalhador seja de no máximo 6kN quando de uma eventual queda.

Todo trabalhador deve estar capacitado para realizar a seleção, inspeção, forma de utilização e limitação de uso dos sistemas de proteção, atendendo as normas técnicas vigentes.

A T-Protege Treinamentos possui a Capacitação em Trabalho em Altura, com carga teórica e prática em conformidade com as exigências da NR-35. Fale com a gente!

Saudações!

 

Quer saber mais?

Acesse a NR-35 na íntegra: http://trabalho.gov.br/images/Documentos/SST/NR/NR35/NR-35-2016.pdf

Uma opinião sobre “Sistemas de Proteção contra quedas (NR-35)”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *